....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

29 maio 2013

Viva o espírito de velho


Na minha época....Sim, mas deixe-me explicar, é que a minha geração 80 ( E nem acredito que já chegou a minha hora de falar assim, com essa expressão saudosista de gente que já teve infância e das boas...) de trinta assumida, ser adolescente com todas as traquinagens e marras não dava o direito de desrespeitar quem quer que seja. Isso aprendi em casa, por mais que não tenha tido uma família de comercial de margarina light com ômega 3 e tudo. E a escola também foi fundamental para pôr em prática as 'puxadas de orelhas'. Sempre fui muito consciente e bicuda, logo agradar os outros e aos meninos passava longe dos meus diários.

Hoje, aos trinta, entendo como foi importante o título de "espírito de velho". É, esse tal de bullings, sempre existiu, mas não tive que dar o primeiro beijo porque todas as minhas amigas assim já o tinha feito, ou fumar maconha pra ver como era a onda pra não ganhar o título de careta. Mas não se enganem...fiz muuitas coisas das quais me orgulho e muito    (  já outras, menos,claro) e vivi uma 'loka vida' com responsabilidade, ou melhor, espírito de velho.

Mas o que fazer, a não ser mostrar que essa juventude, pelo menos essa parte considerável, não me representa...Não me representa best sellers, músicas top10 ou festas de camisa colorida( aqui em Salvador uma febre- caneca na mão, cerveja quente, pagode ou têtêtê lê universitário. Ah! Nem a rebelião fanática do Mr.Catra e companhia, com seus quadrados e leks que  deixa o meu lado frívolo boquiaberto. E ponto! Sem ppp...caixinha de fósforo.

Mas existem muitos adolescentes alienígenas e com esse espírito de velho que me orgulham. Que ditam seus gostos, marrentos e que vão contra maré. Fazem a diferença e incomodam muito gente...