....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

01 outubro 2009

Parou na Parada!?


Não ser contra a qualquer tipo de sexualidade não quer dizer que tudo aos meus olhos é absorvido como água em terra. No último dia 27 de Setembro, ocorreu a parada gay Família é proteção, Contra a homofobia e discriminação. Bem, era Domingo, queria descansar, mas como se precisa ser tolerante hoje em dia para não morrer, literalmente, resolvi abstrair o barulho dos dois trios que passavam o som em frente a minha casa. Era pagode, o que me fez ter certeza de que aquele dia seria de aprovação e testes, portanto, muito perigoso para um domingão- resolvi trocar a minha casa pela a de meu amado. Enquanto nos arrumávamos os vidros da casa 'tintilhavam' e nem o jogo do Brasil sub- alguma coisa pude assistir. Jogo sem narração para uma mulher é o ápice da perda de tempo.

Mas o que me chamou a atenção foi a mobilização e a grandeza do evento nunca antes vista na história da Cidade Baixa, mais precisamente, Roma. E então caiu a ficha de que Salvador tinha eleito uma vereadora que faz sim cabo eleitoral da sua sexualidade- Leo kret. A rua estava repleta de caixas de isopor e muitos consumidores, afins e simpatizantes. Não faço uso da hipocrisia e digo sim que um evento no Farol da Barra perde parte de suas características quando toma outra cenário. A bagunça estava armada e não tinha jeito.

Falando no fedor da hipocrisia, por que se tira do ar a vovó sexy das Havaianas e se permite cenas provocantes de sexo na Malhação ou se lança gargalhadas aos transformistas de silicone à mostra e bundas de fora na primeira hora da tarde numa parada contra a discriminação? Quem foi uma criança saudável lembra que tudo aflora curiosidade e se transforma numa película de lembranças e referências. O som de tiro, assassinatos, o sexo precoce, tudo abafa e modifica toda uma infância. Alguém responda: Quais os valores que ainda podem ser salvos? E nessa vida de a la vonté o que se leva como prêmio?