....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

15 janeiro 2010

Pagode? Não, obrigada




Se são as pessoas que fazem o ambiente, a Lavagem do Bonfim está condenada à cova. Refiro-me à lavagem festa de largo e não as novas festas que vieram com o Bonfim Light. Se perguntam se vou à Lavagem do Bonfim, digo que já moro nela e não tem como ficar de fora. Agora, esse ano ela me causou certa estranheza. Da porta de casa já notava que os bêbados vieram mais cedo, e as vítimas bem mais jovens. Crianças se insinuavam ao som das batidas com movimentos pornográficos ao lado de adultos orgulhosos e cada vez mais bêbados, e a cada hora o repertório conseguia ser mais vulgar e humilhante.
Sempre reafirmo que essa entrega ao vulgar e promíscuo jeito de ser é pura carência- seja de bons exemplos, educação doméstica ou relacionamentos saudáveis. É difícil entender o motivo de tanta explosão sexual nessas letras de pagode. Talvez na festa ninguém seja tão sistemático como eu para reparar nesses detalhes. No entanto, para minha surpresa, foi a resenha que rolou no fim da tarde com toda a família, e o incentivo deve ter sido a minha afilhada de seis anos. Ontem ouvi muito que ela a se parecia comigo, mas não pela aparência somente, e sim pela ' postura' de moça alheia a esse mundo. Agradeço à minha família por ter essa preocupação de dar bons exemplos, fomentar sentimentos bons e valores realmente importantes no crescimento de uma criança.

Sinceramente, não me importo tanto com mulheres que se julgam o centro das atenções por 'ralar o parreco no chão' e dramatizam uma tranza ao ar livre. A plateia deve agradecer, afinal o espetáculo é de graça. Mas se assim fosse o meu gosto musical, não me sentiria bem com meu filho presenciando a cena. Trazer ao mundinho delas o sexo de forma tão prematura é crime. E para essas pessoas que cultuam essa banalização fica um alerta: o número de pedófilos vem aumentando de forma assustadora por que mesmo?