....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

05 agosto 2009

'causos' de alguém


Como tinha dito, lançarei pequenos 'causos' de alguém. Afinal, é muito bom dividir confissões e experiências, e não me refiro a fofocas. Passear pela mente humana deve ser o ponto de partida.

Aqui vai o primeiro...




.........................................................
Eles se conheceram numa festa muito louca e durante 1 ano se encontravam sempre driblando outros casinhos esporádicos. Se encontravam cada vez mais e a vontade de estar um com o outro os rendia. Eram loucos juntos, palhaços juntos e sempre amantes, o melhor que poderiam ser. Com mais um ano assumiram a relação para os amigos que a todo momento cobravam isso. As pressões do meio pra quem se vê namorando. " Tá namorannno, heim?!" Piadinhas de amigos ciumentos. Continuando...

Os momentos eram bons de verdade. Não tinha esse lance de cobrança de casinhos faz- de- conta que é namoro. Ela é dois anos mais madura na idade e 7 anos pela vida( sete não por ser cabalístico, mas uma alusão a tal crise que abate um relacionamento, é o que se diz). Eram bons amantes, e portanto, diversão garantida. Se encontravam no apartamento dele e esqueciam da hora. Tudo o que queriam era apostar em uma boa sessão da tarde e curtirem aquela pipoca e um namoro quente, não necessariamente nessa ordem.
Em um dos momentos de muito amor...é, ele já apontava no peito dos dois, após aquele grito de prazer ela solta :
- "nossa, amor, que rasteira?!"
Tudo seguiu normalmente até tomarem banho e resenharem sobre a performance de cada um. Aí ele explode aos risos:
- "tanta coisa pra você dizer e você fala- que rasteira?!"
A naturalidade foi tanta que na hora ela não percebeu, em meio aos carinhos, o soluço irônico estampado em seu rosto. Riram tanto que o filme batido da sessão da tarde foi para as cucúias. Até hoje ela não entende porque não largou um "te adoro, bull!"-preserva o eu te amo para o casamento. De uma coisa serviu, quando a saudade é grande e ele implora por sua presença para dormirem enroscados sentindo o cheiro um do outro, ele a convence só adiantando:
-" vai ter rasteira hoje!!"
...................................................................