....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

11 agosto 2009

Perguntas sem repostas



Esquivando também da pergunta: "E aí? Qual as novidades?!"

Se você, praticamente, não vê aquela pessoa, tudo é novo para ela. Até um caracol...uma lesma, muda... de lugar, pelo menos. Parece que não contar algo, nada de nada, é admitir a contra gosto que tudo está um marasmo. A pergunta certa não seria " tem algo de novo na sua vida que seja relevante para mim? Claro, não é de bom tom responder que são muitas as novidades, mas que não cabe mencioná-las, já que pelo seu teor íntimo, torna-se ínfimo aos olhos de terceiros. No entanto, na insistência da pergunta, as palavras assumem força própria e atropelam o bom senso. Acontece.
Sem poder escapar dessas situações no msn, a resposta mais adequada que encontrei- " o que é novidade pra você, pra mim já é passado..." e um riso para deixar longe qualquer impressão de grosseria. Ao dar a outra face levei- " então manda as velhas mesmo". Foi merecido ouvir isso. Um diálogo sem início-meio-fim só poderia não dar em nada. Entender as entrelinhas não é para qualquer um.
Nada de mau humor. É que às vezes, não tomar um refrigerante, se emocionar ao ver o crepúsculo no fim da tarde, terminar em tão pouco tempo aquele delicioso livro, sentir por perto as verdadeiras amizades e amores ou não sentir aquela dor de cabeça do fim do dia já é uma novidade merecedora de comemoração. A vida nos ensina a valorizar os detalhes, basta conquistar a sensibilidade de sempre celebrá-la. Agora, não ter ganho na Mega e realizado sonhos e delírios de uma vida faz-de-conta de toda a família, ou melhorar o mundo é um trauma. Nada estranho.