....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

22 dezembro 2009

A amizade não cabe no pai dos burros









Tem gente que tem mania de Aurélio- adora dar nomes aos bois, meter conceitos, e o pior, emitir sempre preconceitos. Se alguém fala que tal pessoa é cínica- desmerece a aptidão de saber lidar com as inúmeras situações que a vida impõe; ou sarcástica- por nunca ter aprendido ouvir verdades e ignorar que em verdadeiras amizades é fato consumado usá-las para o bem de quem realmente se gosta; pedante- é por não entender que as pessoas são diferentes e nem sempre sorrisos e gestos prestativos são sinônimos de pura simpatia. Mas não importando sob qual forma, a verdade sempre assusta, e portanto se tenta enfraquecê-la atribuindo à pessoa uma crueldade nata. A questão é que a sinceridade é uma arma entre pessoas erradas.



E o que se percebe numa fiel amizade é que as palavras nunca tomam uma segunda intenção. As coisas são: dispensa-se conceitos. Pode rir ou chorar, as verdadeiras amizades vivem de pão e circo, sem imposições, comandos e acordos. O importante é que nesses casos, o que fala mais alto é a força do seu abraço, o silêncio e a paz.