....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

04 junho 2009

Corra atrás do seu ócio!







" ser louco ou não
ser, és a minha indagação..."



Todo mundo já foi chamado de louco um dia. Um elogio para Domenico De Masi, grande sociólogo italiano que revolucionou as relações do empregado e do empregador e a otimização do trabalho, pai de grandes obras como o Ócio Criativo, um sucesso no mundo. É apaixonante quando o que você pensa e acredita, mesmo no seu íntimo em flashes de surto, diriam os ditos normais e bem sucedidos, é postulado de vida,no caso De Masi. O jogo entre lucidez e loucura parece ser tênue, já que cada um de nós tem a parcela que lhe cabe dos dois estados e a liberdade de defini-los e dar-lhes a importância percebida, sob experiências ou não de vida.

"A Igreja prega o trabalho como um 'castigo divino' e a escola prepara indivíduos para seguirem o modelo atrofiante da sociedade consumista." O que tem de loucura nisso?! A questão aqui não é a laranja. É a vitamina c! Das loucuras criativas de De Masi e sua lúcida busca pelo ócio criativo encontrei uma pesquisa em que ele comprova que apenas bastam 5 a 6 horas de trabalho. O resto é perda de tempo e embromation. É não saber aproveitar a vida e os belos momentos que se pode tirar dela. De Masi afirma que a beleza e o prazer da vida está, principalmente, em coisas que fazemos sem gastar dinheiro algum: fazer amor, encontrar amigos, folhear uma enciclopédia, meditar e deixar o tempo correr, sem nenhuma ansiedade. Que loucura! Alguém pensou. Aliás, muitos pensaram. Alguém mais?

É complexo. Como diria meu grande amigo - a vida é cara, ainda mais com luxo! Frued mais uma vez explica. A primeira e principal teoria do sonho é dele ( seus pensamentos estão aqui na estante do quartinho desde o ginásio) baseadas na ideia de desejo reprimido. Ainda assim, ele comentou: "Às vezes, um charuto é só um charuto." - ou seja, sonhos sem grandes interpretações. Mas o que o sonho tem a ver com a lucidez ou loucura? Bingo! E para responder entra meu sociólogo revolucionário De Masi: O que diferencia um sonhador de um criativo é a capacidade do criativo de concretizar a fantasia. Olha a loucura aí! Você é louco?! Fica fantasiando as coisas! ( ops...essa frase ficaria melhor como fala masculina numa discussão de casal, não acha? Mas abstraia). A conlusão é que não basta ser louco e sonhador. Tem que ser criativo, não é Da Masi? Afinal, a aventura pode ser louca, desde que o aventureiro seja lúcido. Para quem gosta sempre de dizer " e vice-versa", aqui não cabe.

Ah! Para Demasi a criatividade não é um ponto de partida - é um ponto de chegada. Será que ele se inspirou nesse blog? uau! Que loucura! Mas foi criativo...


........