....

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida"
( Vinícius de Morais)

30 junho 2009

Tuitada boa!? É.. foi...

.....
Tudo começou com uma tuitada. Fiquei tonta com tanto '# forasarney' e aqui vai um recado - ès a Gení eleita do Twitter!E lasquem mais tantas pedras no Sarney.
Entre amigos, desconhecidos e futuros bons contatos, cheguei ao blog da Any e nele a um post, onde ela começa citando uma frase que lhe chamou atenção numa conversa pelo twitter-“Junto à maré, aos tornados e aos terremotos, a procrastinação é uma das grandes forças da natureza”. Pela frase tento imaginar a complexidade existencial que levou ao âmago desse medo . Logo notei que twitava com o Jorge, que adoro seu jeito descompromissado e sempre no ataque da primeira a última linha, sobre seu post ' Revolução de sofá' com o Sarney e o povo brasileiro no alvo; e com Any, e que joguei com força : @procrastinação e Sarney, tudo a ver!
Claro que antes, na verdade, assim que me deparei com essa palavra, corri para matar a minha curiosidade. Correr no sentido figurado, claro, já que não saí da frente do monitor:
"Procrastinação é o
diferimento ou adiamento de uma ação. Para a pessoa que está procrastinando, isso
resulta em
stress, sensação de culpa, perda de
produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com suas
responsabilidades e compromissos. Enquanto é normal que as pessoas procrastinem até um certo
ponto, isso se torna um problema quando impede o funcionamento normal das ações".
Depois de muitos risos - internos-pensei na ironia do destino em revelar-me de forma tão despretenciosa ao mal que me aflinge: procrastinação crônica . Parei de achar graça e nem entendi mais o que me fez rir tanto da minha própia desgraça. Sim! Estava rindo da desgraça alheia- procrastinação do Sarney até então...Agora baixei mais a cabeça e não parei de admitir que eu sofria desse mal. Todas as minhas respostas estavam ali ao lado de Sarney!
Veio a culpa. Pensei logo em rafazer aquela minha lista de pendências que nunca se esgota em um ano, só acumula. Aí veio o stress. Por que demoro de fechar o ciclo de tudo? Por que tenho o prazer de atrasar minhas ações, minhas atitudes...minha vida? Não sei. Talvez para mostrar-me que posso? Todos os efeitos da procrastinação passaram por mim como uma escada volante. Parada fiquei. Não posso continuar. Não estou num divã e nunca estarei. Meu divã é a cama com olhos na parede que chegam a montar sombras abstratas de tanto fixar o nada. Vou para cama, mas antes...será que Sarney se sente culpado por alguma coisa? Ele se mostra imbatível e duro feito rocha e não pensa em largar o osso da presidência. Todas as acusações são descabidas, defende-se e arrebata- " a crise é do Senado, não é minha"- e os atos secretos? 'Não sei que lá, não sei de nada'.
Já eu, corri pra cama.
.........
Veja de perto: